ATENÇÃO!! O site CitroënClube mudou de endereço!

Atualizem seus favoritos para -> https://citroenclube.com.br

Tubulação primaria (da bomba ao acumulador)

Regras do fórum
Atenção: Não use CAIXA ALTA!
LEIA AQUI as regras antes de postar.
Responder
alexandre
Habilitado
Mensagens: 143
Registrado em: Qui Jun 21, 2007 5:40 pm
Nome: alexandre
Localização: São Bernardo do Campo - SP

#1

Mensagem por alexandre » Ter Jul 03, 2007 11:16 am

Ola a todos,

Como primeiro post e tambem a realização de um sonho - O primeiro Citroen (um XM Break V6 Aut. Maseratti, uma entrada triunfal), recebi de muitos, muitos mecanicos mesmo, a referencia de que estava adquirindo uma dor de cabeça sobre rodas!
Não sou leigo, sou mecanico certificado ASE e sei o que estou comprando. Uma pena que a mão de obra mecanica em nosso pais seja tão precaria, pouco contato com o sistema de suspensão hidro-assistida criou o mito nas oficinas de que os Citroen com mais de 8 anos não prestam.

Desabafos de lado, estou em meu primeiro desafio e olha que adoro desafios. Na linha primaria de pressão da minha SS-Enterprise (apelido que dei ao transatlantico!), o cano de aço que sai da bomba hidraulica, ate o conjuntor/acumulador de pressão vazou na quinta-feira da semana passada e quase me fez perder o SS, o famigerado LHM caiu sobre o coletor do escapamento e pegou fogo!

Minha sorte foi estar em frente a um local que tinha agua e consegui apagar o foco de incendio. Saldo do evento: Manta acustica do capô, chicote do sensor de velocidade, calha de borracha do capô (veda a entrada de agua da chuva do parabrisa para o motor), e nervos abalados! Foi um susto e tanto...

Estou atras do cano que ja estava em estado lastimavel e foi colocado sem as braçadeiras de fixação, criando um grande movimento no cano e permitindo o vazamento do oleo na junção da bomba, como este local tem uma pressão hidraulica consideravel, o oleo não vazou e sim jorrou por toda a região posterior do motor, dai o incendio.

Em contato com as CC, a peça sai por 135,00 e chega em 2 MESES!!!! A outra alternativa, em contato com uma empresa de circuitos hidraulicos, que faz mangueiras de alta pressão, os tecnicos me passaram a probabilidade de fazer uma mangueira trançada em malha de aço que resiste a 170 Kg/Cm2 e 130°C, com conexões que permitiriam a ligação com a bomba e o acumulador.

Isto sairia por 68,00!! Pelo valor e o tempo de confecção (30 minutos!) acho que vou tentar, se ficar tudo bem eu aviso a voces, se não, vou ter que aguardar este bendito cano chegar da França, e haja paciencia!

Um grande abraço a todos.... :lol:

Alexandre
Capitão da SS Enterprise


<!--coloro:#CC0000--><span style="color:#CC0000"><!--/coloro--><!--sizeo:3--><span style="font-size:12pt;line-height:100%"><!--/sizeo-->Alexandre<!--sizec--></span><!--/sizec--><!--colorc--></span><!--/colorc-->
Capitão da SS-Enterprise

Imagem
rafael_xm
Curioso
Mensagens: 181
Registrado em: Ter Ago 29, 2006 10:21 am
Nome: rafael_xm
Localização: São Paulo - Capital
Contato:

#2

Mensagem por rafael_xm » Seg Jul 23, 2007 8:27 pm

Boa noite Alexandre,

Recentemente tive um problema hidraúlico no circuito da direção do meu carro, um XM 94/95, 3.0 V6 12 mecânico.

Uma instalação bizarra feita pelo antigo proprietório resolveu estourar justamente comigo. Na mangueira que sai do reservatório de expansão do LHM e segue para a direção com uma derivação em "T", o elemento colocou um daqueles "T"s de plástico que se usavam antigamente na linha de combustível de Fuscas e Brasilias. Resultado: com a pressão, aquecimento e movimento da mangueira, o tal "T" foi para o espaço.

Procurei a tal mangueira na Citroën e fui informado que ela sequer está catalogada no novo sistema de peças da marca.

Resolvi o problema utilizando conexões de latão e mangueira de alta resistência a temperatura e pressão da Aeroquip. Apesar de ser uma mangueira bastante cara, depois de colocada suas preocupações acabam definitivamente.

É conveniente promover pelo menos mais dois apertos nas conexões.

Algumas adaptações são bem vindas para esse carro, como um temporizador de trava elétrica por exemplo. É inconcebivel que se tenha que torcer o corpo todo para travar a porta.

Atualmente um problema tem me tirado do sério: o velocimetro do meu carro não passa dos 90 km por hora, esteja em que velocidade estiver, e quando reduzo a velocidade, ele desce muito lentamente. por exemplo, quando estou dentro da garagem do meu prédio, rodando a mais ou menos 15 ou 20 km/h, ele está marcando 70 km/h.

Ainda não tive oportunidade de ver se esse carro tem cabo mecânico, como nos modelos até 1993, ou se a velocidade é definida a partir do movimento de um captor de velocidade, como acontece com os Xantia e Xsara.

Se alguém tiver uma dica sobre isso, ela será muito bem vinda.

Abraço!
Ainda por aqui!
alexandre
Habilitado
Mensagens: 143
Registrado em: Qui Jun 21, 2007 5:40 pm
Nome: alexandre
Localização: São Bernardo do Campo - SP

#3

Mensagem por alexandre » Seg Abr 21, 2008 3:16 pm

Rafa,

Ja conseguiu resolver o problema do velocimetro?

Ele é de cabo dividido em duas partes e parte de um conjunto impulsor que aciona o cabo primario do velocimetro e o cabo do dispositivo centrifugo de centralização da direção. O cabo primario do velocimetro termina no captador de velocidade, um sensor Hall montado em um corpo plastico branco um pouco abaixo do centrifugo. Este sensor informa ao computador de bordo e ao da suspensão, as estatisticas de velocidade quando acima de 15Km/h.
Saido do sensor de velocidade, a segunda parte do cabo termina no painel, onde é conectado no velocimetro mecanico.
Como o velocimetro no painel tem um conjunto mecanico, o seu retorno e avanço do ponteiro se da atraves de uma mola em expiral, esta possui uma regulagem que normalmente é feita em casas especializadas e é chamada de aferição.
No seu caso, esta mola se rompeu e é isto que tem lhe dado tantos problemas. ;)

Duas dicas:

As vezes este sensor de velocidade para de funcionar sem motivo aparente, percebe-se porque o consumo medio instantaneo no computador de bordo não marca (fica com tres traços --- independente da velocidade), a suspensão perde a referencia de calculo para passar de flexivel para firme e o ABS para de funcionar! :blink:
Para resolver isto retire o sensor (não precisa ferramenta, é só desrosquear manualmente) e utilize um multimetro para medir a continuidade entre os conectores do sistema. Se não houver provavelmente as soldas internas estão com mal contato ou se romperam. Abra-o com o auxilio de uma chave de fenda fina e pequena, solte uma volta do enrolamento interno, cuidado, ele é muito fino e permite a retirada de somente 4 voltas, mais que isto ele passa informações erradas aos modulos, de a volta com o fio no terminal e refaça a solda com estanho, meça o resultado usando novamente o multimetro, agora que voce tem leitura de resistencia, monte o conjunto e teste em movimento. :P

A segunda, o cabo do velocimetro as vezes se rompe quando entra agua no conduinte do cabo (há uma curva bem acentuada proximo ao cambio e que resseca por estar recebendo calor do escapamento), logico que voce não terá referencia nenhuma (velocimetro e sensor) e localizar esta peça é bem dificil, mas há uma saida: Desmonte a parte do cabo que esta danificada (entre cambio e sensor), utilize uma morsa (ou a ajuda de um amigo) e com uma furadeira, faça furos RAZOS de 4mm nos pontos de fixação do terminal do cabo (a parte de metal na extremidade que é fixada no sensor de velocidade), os furos tem que ser razos para não danificar o terminal de plastico que liga o cabo ao sensor.
Da extremidade metalica saira junto com duas pequenas arruelas que o fixam: o terminal plastico e o cabo de aço quebrado. Segure o conduinte com alicate e desrosqueie dos terminais metalicos.
No cabo de aço, há aquela pequena peça plastica preta, de um lado termina numa face quadrada que se liga ao sensor, do outro esta preso no cabo, este componente tambem pode ser desrosqueado!! Prenda-o na morsa e segurando o cabo com o alicate, gire o cabo no sentido em que se solte da peça plastica como se fosse um parafuso. Agora que soltamos tudo não descarte o cabo quebrado, ele sera usado na medição do novo cabo!
Consiga um cabo de velocimetro do FUSCA!? :blink: Isto mesmo, o cabo do fusca tem o mesmo diametro e a face quadrada feita na extremidade do cabo é igual a dos Citro!
Meça o comprimento necessario do cabo e faça o corte, este corte tem de ser muito bem feito e não pode deixar desfiar o cabo, este lado cortado deve ser rosqueado no terminal plastico, por isto precisa estar bem feito.
Meça tambem o tamanho do conduinte do cabo e corte o do fusca, este substituira o seu conduinte enrigecido e enferrujado interiormente. Rosqueie o novo conduinte nos terminais metalicos e cloque o cabo de aço lubrificado com graxa no interior do conduinte. Coloque as duas pequenas arruelas sobre a extremidade plastica e use a chave de fenda para empurra-las para o fundo da extremidade.
Agora monte o cabo de volta no veiculo e Voilá...sua velocidade de volta!!! :rolleyes:


Boa sorte a todos... B)
<!--coloro:#CC0000--><span style="color:#CC0000"><!--/coloro--><!--sizeo:3--><span style="font-size:12pt;line-height:100%"><!--/sizeo-->Alexandre<!--sizec--></span><!--/sizec--><!--colorc--></span><!--/colorc-->
Capitão da SS-Enterprise

Imagem
rafael_xm
Curioso
Mensagens: 181
Registrado em: Ter Ago 29, 2006 10:21 am
Nome: rafael_xm
Localização: São Paulo - Capital
Contato:

#4

Mensagem por rafael_xm » Qui Abr 24, 2008 9:42 pm

Boa Alexandre,

Um pessoa que eu havia encontrado numa concessionária da marca, havia me falado sobre como reparar o problema do velocimetro. Como foi uma conversa muito rápida, não foi possivel avaliar na pratica, como é que a coisa poderia acontecer.

Dei uma boa lida no seu artigo, e ele basicamente diz que é preciso trocar a mola que vai na parte posterior do painel, que, como bons conhecedores da marca, posso deduzir que não seja vendida em separado. Até ai tudo bem, podemos correr atrás de um painel usado e ver se a peça está em bom estado, ou na pior das hipóteses, podemos madar fazer a tal mola seguindo as especificações de material e medidas da peça original. Minha preocupação está em relação a desmontagem do satélite dos instrumentos.

Sei que para desmontar esse painel, temos que começar com os parafusos da parte de baixo da coluna de direção, "limpando" a área de baixo e possibilitando a retirada do volante para que então, possamos retirar o satélite e os mostradores do computador de bordo. Pretendo retirar o painel de controle do ar condicionado também, já que o visor deixou de mostrar a temperatura de forma clara, mas continua mostrando de forma bem apagada.

Talvez você já tenha desmontado o painel desse carro e tenha, por acaso ou não, descoberto a sequência de desmontagem.

Se souber e puder passar essa sequência eu agradeceria.

Postei uma resposta no tópico do XM sobre uma barca num pátio de Itupeva, a cerca de 70 km de São Paulo. Dê uma olhada nas fotos e veja se interessa. Esse carro é de um colega aqui do Fórum.

Abraço e obrigado pelas dicas.
Ainda por aqui!
alexandre
Habilitado
Mensagens: 143
Registrado em: Qui Jun 21, 2007 5:40 pm
Nome: alexandre
Localização: São Bernardo do Campo - SP

#5

Mensagem por alexandre » Ter Jul 15, 2008 2:53 pm

E ai Rafão,

Como vão as barcas? :lol: Ja conseguiu recuperar o velocimetro?

Vou verificar o que passou sobre o painel e satelites e retorno com a sequencia correta para todos.

Sobre o transatlantico que esta na doca seca de Itupeva, nosso colega quer vender somente o carro todo tambem, disse que esta terceirizando o negocio.

Um abraço... B)
<!--coloro:#CC0000--><span style="color:#CC0000"><!--/coloro--><!--sizeo:3--><span style="font-size:12pt;line-height:100%"><!--/sizeo-->Alexandre<!--sizec--></span><!--/sizec--><!--colorc--></span><!--/colorc-->
Capitão da SS-Enterprise

Imagem
alexandre
Habilitado
Mensagens: 143
Registrado em: Qui Jun 21, 2007 5:40 pm
Nome: alexandre
Localização: São Bernardo do Campo - SP

#6

Mensagem por alexandre » Ter Jul 15, 2008 3:06 pm

Boas meus caros amigos :lol:

Finalmente posso afirmar com certeza minha alegação sobre substituir a tubulação primaria da bomba por algo semelhante!!

Consegui refazer o circuito da tubulação de aço com uma de cobre, encontrada facilmente em casas de materiais hidraulicos. Este tubo é flexivel e facil de manusear e cortar, apesar da aparente fragilidade consegue suportar pressões de 1500 BAR (no Citro estamos falando de 180!).

Mantenham os niples originais e ponham anilhas nas extremidades do tubo, quando apertado as anilhas enforcam o tubo e o prendem no lugar. Devem ser colocados nas conexões com os vedadores de borracha para evitar vazamentos e acima de tudo: Não esqueçam de nenhuma das braçadeiras de fixação da tubulação, a maioria dos danos que acontecem na tubulação decorrem pela vibração do tubo e consequente quebra.

O meu esta montado a quase um ano e ate agora não apresenta sinais de fadiga do material ou vazamentos. Gasto total: R$ 20,00.


Espero que ajude...


Um abraço a todos B)
<!--coloro:#CC0000--><span style="color:#CC0000"><!--/coloro--><!--sizeo:3--><span style="font-size:12pt;line-height:100%"><!--/sizeo-->Alexandre<!--sizec--></span><!--/sizec--><!--colorc--></span><!--/colorc-->
Capitão da SS-Enterprise

Imagem
Responder