ATENÇÃO!! O site CitroënClube mudou de endereço!

Atualizem seus favoritos para -> https://citroenclube.com.br

XSARA EXCLUSIVE - MODIFICACOES

Regras do fórum
Atenção: Não use CAIXA ALTA!
LEIA AQUI as regras antes de postar.
checov
Sem Habilitação
Mensagens: 36
Registrado em: Qua Jul 23, 2008 7:10 pm
Nome: Checov
Localização: Bragança Paulista / SP Citroën C4 Pallas 08/08 GLX Prata

#16

Mensagem por checov » Sáb Jul 26, 2008 1:48 pm

[quote name='Daniel' post='2040' date='Jul 24 2008, 07:10 PM']
alcool nao tem octano....ele é um hidrocarboneto...
mesmo em paises desenvolvidos nao existem carros stock movidos a metanol
uma coisa é ler anuncios de caixinhas flex....e outra totalmente diferente é a pratica....
Outra coisa voce falou muito vago...nao incluiu os custos totais de uma conversao. Assim escrevendo um monte de coisas sem responder o foco principal da pergunta...
[/quote]

Parece que alguém não leu o post mesmo: precisa entender o conceito de OCTANAGEM PRESUMIDA, que é a medida equivalente a octanagem para determinado combustível levando-se em conta a capacidade de resistir à detonação. Para mais informações, consulte no site da Petrobrás.

Em toda a Europa, já ha cerca de 25 anos, a mistura gasolina-chumbo foi substituída pela mistura gasolina-metanol. Inclusive toda essa "briga" política que está ocorrendo nas rodadas de DOHA é porque o Brasil mostrou um álcool melhor e mais barato, o etanol, deixando os produtores de metanol realmente preocupados. Lá não tem carro movido só a metanol porque o metanol é muito caro e a gasolina, barata (o oposto daqui), e por isso também os produtores de petróleo também estão preocupados, porque TODOS os carros aceitam álcool sem problemas.

De qualquer forma, sobre o preço da "conversão" (que, como especifico no post, não existe de verdade), pode ser barato (somente um adaptador para aumentar o tempo dos bicos sem gerar falhas na UCE) em torno de R$250,00. Pode ser um preço médio, que envolve mais um sistema de partida a frio (um reservatório de gasolina a parte) para facilidar a partida com o motor frio, em torno de R$400,00, ou mais caro, que eu não faria MESMO, pois envolve mexer na vasão original dos bicos, tornando o consumo muito exagerado caso queira voltar a usar gasolina, e por isso o torna muito caro caso queira retornar os bicos originais..

Note que isso não torna o carro "flex" real: alguns conversores possuem uma chave comutadora álcool-gasolina, exigindo o uso de um OU outro, não uma mistura deles. Outros conversores permitem regular o tempo de abertura dos bicos, em porcentagem, o que permite uma mistura FIXA dos combustíveis.

Checov


dbmdaniel
Curioso
Mensagens: 308
Registrado em: Ter Abr 15, 2008 12:04 am
Nome: Daniel

#17

Mensagem por dbmdaniel » Sáb Jul 26, 2008 4:24 pm

oque vc ta falando??? o problema do alcool é a agua na gasolina proveniente do alcool...oque tem aver gasolina mais metanol?

Estamos falando em carros rodar utilizando apenas alcool ou no seu caso metanol...e nao misturado...oque ja ocorre...

Se os bicos orginais ja funcionam em 100% em regimes altos....como os tais bicos chegariam no regime de 130% algo impossivel utilizando alcool?
Que partida a fria é essa que custa R$400??? mangueiras de ouro?:rsrsrsrs
RAFAEL
Mestre Curioso
Mensagens: 796
Registrado em: Ter Ago 29, 2006 2:28 am
Nome: O Administrador

#18

Mensagem por RAFAEL » Sáb Jul 26, 2008 5:39 pm

Boa tarde senhores,

Esse é um assunto que interessa a todos os frequentadores do Fórum, e num futuro muito próximo, interessará também aos proprietários de carros europeus, desta e de outras marcas também.

Todos sabemos que há muito folclore sobre conversão para álcool, ou mesmo para a transformação em Flex.

O nosso papel neste momento, e especificamente sobre este tópico, é passar e receber informações, e isso precisa ser feito dentro de certa normalidade para que este assunto, repito, de vital importância para todos, não se perca numa discussão sem fundamentos.

É importante dizer para todos os que acham que estão certos, e também para os que acham que não estão errados, que todos estamos aprendendo, e que a certeza só virá com a apresentação de fatos práticos que possam convencer a todos.

Por esta razão, é de suma importância que as experiências sejam expressas aqui. Que as conversões e adaptações, sejam bem ou mal sucedidas, sejam apresentadas por seus protagonistas, sejam eles da linha do certo, ou do não errado.
O Administrador
<!--coloro:#FF0000--><span style="color:#FF0000"><!--/coloro-->ccdob<!--colorc--></span><!--/colorc-->
\[EMAIL=webmaster@ccdob.com.br\]webmaster@ccdob.com.br\[/EMAIL\]
checov
Sem Habilitação
Mensagens: 36
Registrado em: Qua Jul 23, 2008 7:10 pm
Nome: Checov
Localização: Bragança Paulista / SP Citroën C4 Pallas 08/08 GLX Prata

#19

Mensagem por checov » Sáb Jul 26, 2008 10:26 pm

[quote name='Daniel' post='2060' date='Jul 26 2008, 04:24 PM']
oque vc ta falando??? o problema do alcool é a agua na gasolina proveniente do alcool...oque tem aver gasolina mais metanol?

Estamos falando em carros rodar utilizando apenas alcool ou no seu caso metanol...e nao misturado...oque ja ocorre...

Se os bicos orginais ja funcionam em 100% em regimes altos....como os tais bicos chegariam no regime de 130% algo impossivel utilizando alcool?
Que partida a fria é essa que custa R$400??? mangueiras de ouro?:rsrsrsrs
[/quote]


Tsc, tsc...

É realmente uma pena que existam pessoas que nada sabem, mas fazem questão de continuar sem saber.

Perguntaram sobre o assunto, eu tenho experiência, tanto prática quanto técnica, e por isso me dispus a tentar ajudar.

Se você faz questão de não acreditar, e mostrar birras como essa aí em cima, não serei eu a convencê-lo, mas sim um psicanalista. E principalmente um bom professor de língua portuguesa.

Checov

[quote name='O Administrador' post='2062' date='Jul 26 2008, 05:39 PM']
Boa tarde senhores,

Esse é um assunto que interessa a todos os frequentadores do Fórum, e num futuro muito próximo, interessará também aos proprietários de carros europeus, desta e de outras marcas também.

Todos sabemos que há muito folclore sobre conversão para álcool, ou mesmo para a transformação em Flex.

O nosso papel neste momento, e especificamente sobre este tópico, é passar e receber informações, e isso precisa ser feito dentro de certa normalidade para que este assunto, repito, de vital importância para todos, não se perca numa discussão sem fundamentos.

É importante dizer para todos os que acham que estão certos, e também para os que acham que não estão errados, que todos estamos aprendendo, e que a certeza só virá com a apresentação de fatos práticos que possam convencer a todos.

Por esta razão, é de suma importância que as experiências sejam expressas aqui. Que as conversões e adaptações, sejam bem ou mal sucedidas, sejam apresentadas por seus protagonistas, sejam eles da linha do certo, ou do não errado.
[/quote]

Exatamente.

Só para demonstrar tudo o que eu disse, desde meu segundo Ford Escort eu mesmo faço a conversão de meus carros. Não trabalho com isso, só faço porque fiz questão de estudar e conhecer mecânica automotiva e eletrônica embarcada. Desde este Escort (Zetec, 16v), converto meus carros, antes a GNV e agora a álcool. Meu carro atual, um C4 Pallas, está rodando com 33% de gasolina e 66% de álcool, desde zero km, e ele já tem 6500Km, ou seja, pelo menos 10 tanques.

Tenho um fórum especializado em GNV, o qual sou consultor e moderador fundador, e a partir daí conheci outras formas de conversão inteligentes e imunes aos veículos atuais. Caso seja do interesse de alguém (e possa ser divulgado aqui no forum), citarei este outro forum

Checov
Editado pela última vez por checov em Sáb Jul 26, 2008 10:28 pm, em um total de 1 vez.
dbmdaniel
Curioso
Mensagens: 308
Registrado em: Ter Abr 15, 2008 12:04 am
Nome: Daniel

#20

Mensagem por dbmdaniel » Dom Jul 27, 2008 5:15 pm

parabens
observador 1
Sem Habilitação
Mensagens: 11
Registrado em: Qui Mai 29, 2008 8:25 pm
Nome: observador 1
Localização: interior de SÃO PAULO

#21

Mensagem por observador 1 » Seg Jul 28, 2008 10:04 pm

boa noite a todos e checov ,eu tenho uma xsara 2.0 aut 16v e gostei muito de sua explicação pois tem fundamento e já sei de pessoas que transformaram carros importados de gasolina para alcool, eu principalmente ñ gosto de carro á alcool ,as a idéia de economia é legal e de almentar potencia tambem ,mas é de vera que se ficar como o flex ai é ruim gostaria de saber mais sobre este assunto , pois minha xsara tem 147 cv como diz no manual ai ela é rapida não muito na arrancada pois é aut mas depois de 50km ai a história muda ,não da para civic toyota golf astra e outros ai na estrada ,mas quero saber mais
um abraço a até logo, quem pode manda e que é sabio aprende, e se sabe ensina , abraços para todos
checov
Sem Habilitação
Mensagens: 36
Registrado em: Qua Jul 23, 2008 7:10 pm
Nome: Checov
Localização: Bragança Paulista / SP Citroën C4 Pallas 08/08 GLX Prata

#22

Mensagem por checov » Ter Jul 29, 2008 10:02 am

[quote name='observador 1' post='2079' date='Jul 28 2008, 10:04 PM']
boa noite a todos e checov ,eu tenho uma xsara 2.0 aut 16v e gostei muito de sua explicação pois tem fundamento e já sei de pessoas que transformaram carros importados de gasolina para alcool, eu principalmente ñ gosto de carro á alcool ,as a idéia de economia é legal e de almentar potencia tambem ,mas é de vera que se ficar como o flex ai é ruim gostaria de saber mais sobre este assunto , pois minha xsara tem 147 cv como diz no manual ai ela é rapida não muito na arrancada pois é aut mas depois de 50km ai a história muda ,não da para civic toyota golf astra e outros ai na estrada ,mas quero saber mais
um abraço a até logo, quem pode manda e que é sabio aprende, e se sabe ensina , abraços para todos
[/quote]

Oi cara.

Obrigado pelo apoio.

Baseado na sua resposta há uma observação a fazer: as atuais formas de conversão de gasolina para álcool não geram, de forma alguma, aumento de potência. É o mesmo princípio dos carros flex originais de fábrica: o motor é projetado para gasolina e adaptado para álcool. Ocorre que, como a gasolina é um combustível de baixa octanagem, tem grande tendência á detonação, ou seja, explodir descontroladamente quando comprimida. Assim, o motor a gasolina PURA pode ter uma compressão de até 11:1, acima disso o controle anti-detonação tem que ser muito bem feito. O álcool permite compressões até 14:1, e o GNV até 16:1.

O nosso combustível possui um componente que aumenta sua octanagem: o álcool anidro. Assim, é comum que os motores no Brasil trabalhem com compressões até 13:1, e é normalmente esta a compressão utilizada pelos motores Flex. É por isso que não é recomendável que carros brasileiros abasteçam na Argentina, mesmo os carros montados na Argentina e enviados para o Brasil: a gasolina argentina é pura, sem álcool, portanto tem baixa octanagem, causando detonação (o efeito é o conhecido "bate-pino"). Há pessoas que dizem "ah, mas o carro é produzido na Argentina". Sim, concordo, mas ele é "abrasileirado" para o nosso combustível, e não pode receber gasolina pura, exceto caso o carro possua dispositivos de modificação do combustível. Os motores Zetec Ford, por exemplo, possuem um conector próximo ao para-lamas direito que precisa ser desconectado, informando à UCE que será utilizado gasolina pura, evitando assim a detonação.

Voltando ao assunto aumento de potência, como o motor do carro convertido a "flex" não foi modificado, ou seja, sua compressão não é a ideal para álcool, então não haverá nenhum aumento de potência. Na verdade, uma leve redução é esperada, porque o motor não tem a compressão para o total aproveitamento da energia que o álcool libera.

Para você ter uma idéia, em 2005 a Petrobrás estava patrocinando um rally de regularidade com pick-ups Ford Ranger e Mitsubish L200 com motores EXCLUSIVOS para GNV, ou seja, com taxas de compressão de 16:1. São motores completamente incompatíveis com álcool ou gasolina, mas que, devido à compressão ideal para GNV, rodam com uma economia e torque realmente inimagináveis para os carros atuais: faziam mais de 40Km por metro cúbico e possuem torques de mais de 40 kgfm. Para você ter uma idéia, o torque das L200 atuais, a diesel, são de 26,5 kgfm. Só que a desvantagem é que são exclusivas a GNV, combustível não totalmente difundido no Brasil, ao contrário da Europa, onde encontra-se GNV em qualquer uma das províncias dos países da Europa unida.

Assim, se você quiser um aumento de potência convertendo o carro a álcool, é sim possível, mas isso significará mexer na compressão do motor, inviabilizando o uso a gasolina. O carro será exclusivo a álcool. O máximo que poderá ser feito a partir daí é disponibilizar o GNV, tornando o carro flex, mas álcool/GNV. Gasolina este motor nunca mais poderá usar.

Abraço
Checov
Responder